Fascismo

  • Twitter - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Facebook - círculo cinza

no tema

Afinal, o que é fascismo?

A promessa do “Terceiro Império Romano”! Baseado nessa premissa, Benito Mussolini difundiu os ideais fascistas na Itália pós Primeira Guerra Mundial. A sua definição é resumida pela frase do próprio Mussolini “Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado”. Além da Itália no pós-guerra, outros países seguiram alguns princípios fascistas - entende-se fascismo como sistema político -, no entanto, o exemplo mais notório foi a Alemanha de Hitler, que foi responsável por um dos maiores massacres da história da humanidade.

 

Algumas outras características podem ser identificadas como presentes em regimes fascistas como o totalitarismo, o militarismo, o nacionalismo, a forte propaganda, a censura etc. Entretanto, estas não são características próprias do fascismo, ou seja, somente a reunião de todas elas, ou de boa parte, em um mesmo governo pode rotulá-lo como de inspiração fascista.

 

Hoje, tornou-se comum a utilização da palavra fascista para rotular alguns regimes e personagens políticos. Mas, por que a ideia de fascismo voltou para o debate político? Para responder essa e outras perguntas precisamos mergulhar nesse tema.

Regimes fascistas

Estado Novo Português

 sob as presidências de Antônio de Oliveira Salazar de 1933 a 1968 e sob Marcello Caetano de 1968 a 1974.

O fascismo apresenta muitas características que podem se entrelaçar com outros tipos de regime. A dúvida mais  frequente é se enquadrarmos um governo como fascista ou como um “Estado Burocrático-Autoritário”, conceito criado por Guilllermo O´Donnell.

 

Visto esta dificuldade, citaremos aqui todos os países que apresentam uma considerável inspiração fascista, porém, alertamos que alguns estudiosos podem não classificar o governo como propriamente fascista. Visualização possível somente para o acesso por computadores. 

Estado Livre de Fiume

(região de Rijeka na atual Croácia)

 

sob Riccardo Zanella de 1921 a 1922, sob Giovanni Giurati durante 1922 e sob governo militar de Gaetano Giardino de 1923 a 1924.

comédia

O programa do SBT, The Noite, fez um quadro no qual o comediante Léo Lins vai as ruas e pergunta para a população "o que é fascismo?". As respostas são as mais inusitadas!

Linha do tempo

República Social Italiana (região norte da Itália)

sob presidência de Benito Mussolini de 1943 a 1945.

1919 - em 23 de março, Mussolini dá início ao movimento em uma reunião na cidade de Milão. O fascismo nasce em parte como uma resposta a Revolução Bolchevique em 1917 e as revoltas sindicais. Entre os fundadores também estão os líderes sindicalistas Agostino Lanzillo e Michele Bianchi.

 

1921 - elaboração de um projeto de poder mais consistente pelos italianos, com a transformação da associação nacionalista criada anteriormente, em Partido Nacional Fascista. Suas propostas iam desde o fortalecimento do exército, a reformulações tributárias e a separação entre a Igreja e o Estado.

 

1922 - Mussolini ameaça uma revolta denominada “Marcha sobre Roma”. A iniciativa leva-o a liderança de um governo de coligação de direita com membros do partido popular.

 

1924 - os fascistas conquistam a maioria nas eleições para o parlamento e são contestados pelos representantes socialistas que alegaram fraude no pleito. Devido a isso, o Partido Fascista assassinou o socialista Giacomo Matteotti.

 

1927 a 1934 - Mussolini mantém-se no poder através de medidas autoritárias como a manutenção de todos os outro partidos na ilegalidade e a prisão, deportação e assassinato de milhares de civis.

 

1933 - Hitler assume o poder como chefe máximo e único da Alemanha. Aqui tem início o Terceiro Reich alemão

 

1935 - instituição das leis de Nuremberg, que determinavam a segregação entre judeus e arianos.

1936 - aliança entre os nazistas alemães e os fascistas italianos, que fica conhecido como eixo Berlim-Roma. 

 

1939 - invasão da Polônia em primeiro de setembro pelos alemães, o que dá início a Segunda Guerra Mundial.

 

1943 - desastre militar para os italianos com a perda de territórios no norte e leste africanos. Mussolini foi demitido pelo rei Vítor Emanuel III da Itália em 25 de julho.

 

1945 - Mussolini é assassinado por guerrilheiros, mesmo sem ter vínculos com o governo italiano. No mesmo ano, em 30 de abril, Hitler se suicida.

Reino da Itália

sob o mandato do primeiro-ministro de Benito Mussolini de 1922 a 1943.

Reino da Espanha

 

sob governo militar de Primo de Rivera de 1923 a 1930 e sob presidência Francisco Franco de 1939 a 1975.

NA PALAVRA

Reino da Bulgária

 

sob o reinado de Boris III até 1943 e sob governos de Aleksandar Tsankov de 1923 a 1934 e de líderes do movimento Zveno de 1934 a 1935 durante este período.

O fascismo não é impedir-nos de dizer, é obrigar-nos a dizer.

"

"

Ronald Bathes

NÚMERO A NÚMERO

440 mil - número de mortes causadas pela aliança entre a Itália de Mussolini com o Terceiro Reich alemão comandado por Hitler.

17 - Número de regimes com inspiração teórico e ideológico fascista.

mais de 6 milhões - estimativa do número de mortos pelo nazismo alemão.

1.018.953 - número de desemprego na Itália em 1933, segundo William G. Welk em "Política econômica fascista; uma análise do experimento econômico da Itália".

25 - número de postos que estipulam os princípios do projeto de poder nazista que ficou conhecido como “Programa de 25 Pontos do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães".

310.793 - votos recebidos pela CasaPound, partido declaradamente fascista na Itália, nas eleições de 2018.  

121 - número de grupos neonazistas nos Estados Unidos, país onde mais tem crescido este tipo de movimento inspirado no nazismo alemão.

República da China

 

 sob presidência de Chiang Kai-shek de 1926 a 1949.

curiosidades

Estado Novo Brasileiro

sob presidência de Getúlio Vargas de 1937 a 1945.

Um feixe do mal 

Quem diria que um feixe de pequenas madeiras seria a fonte de inspiração para um movimento político! Mussolini usou de uma pequena dinâmica - bem no estilo dinâmica de grupo - para fundamentar suas ideias nacionalistas para a política. Já explico!

 

A palavra italiana fascio significa “feixe” e na Roma Antiga os guarda-costas dos magistrados, que detinham o poder, carregavam um machado conhecido como fascio littorio. A ferramenta tinha uma função prática e uma simbólica: punição corporal e também servia como um símbolo de autoridade e união.  O instrumento era composto pela junção de pequenas madeiras amarradas e com uma lâmina presa na ponta. Daí vem o simbolismo da união: um graveto sozinho é facilmente quebrado, mas quando unido a outros torna-se resistente. A lâmina representava a força do Estado.

 

Mussolini utilizou deste simbolismo da Roma Antiga para exemplificar a sua ideia de nacionalismo e de autoridade. Devido a isso, o fascio littorio batizou o seu sistema político e tornou-se um de seus símbolos.

Áustria

sob chancelaria de Engelbert Dollfuss de 1932 a 1934 e sob presidência de Wilhelm Miklas de 1934 a 1938.

CARACTERÍSTICAS

Ponto a ponto

Reino da Albânia

 reino submetido à coroa do Reino da Itália de 1939 a 1943.

Governo - O fascismo é caracterizado pelo personalismo, ou seja, a concentração do poder em torno de um partido ou de um líder. Para a primeira opção podemos citar o caso italiano que levou o Partido Nacional Fascista ao poder. Na segunda possibilidade, temos o exemplo de Getúlio Vargas no Brasil que - mesmo não sendo unanimidade quanto a definição - pode ser considerado com influências fascistas. Para a manutenção do poder são utilizados o forte investimento em propaganda para a conquista da população e o “braço de ferro” no tratar com opositores.  

 

Economia - O Estado ocupa papel decisivo no campo econômico através de subsídios, regulamentação, fiscalização e até mesmo gestão direta. O sindicalismo é utilizado como forma de controle e organização da indústria. A economia fascista também é simpática a medidas protecionista, a reforma agrária e a estatização, sendo essas medidas encontradas em alguns regimes.

 

Propaganda - Forte investimento nos meios de comunicação para atingir as grandes massas e promover a criação de uma consciência coletivista. Para isso, eram utilizados inúmeros símbolos visuais, organização de recorrentes comícios com ares de espetáculo e a predominância de discursos orais feitos por figuras carismáticas ao invés de pronunciamentos impressos.

 

Arte -   Sim, este também é um importante tópico para entender o fascismo! As expressões artísticas foram muitas vezes utilizadas como meios de transmissão dos ideais do Estado. Para isso, as características destas versavam por entre o realismo e a arte modernista de vanguarda da primeira metade do século XX. Na arquitetura, o modernismo é o principal traço, com estruturas marcadas pela simetria racionalista.

 

Religião - O fascismo mantém uma relação distante com a religião, sendo a defesa da separação do Estado e da Igreja um ponto fundamental. No entanto, entende a mesma como um processo importante de coesão social e manifestação da espiritualidade do povo.


 

Opinião

Reino da Romênia

 sob presidência de Ion Antonescu de 1940 a 1944.

NA PALAVRA

Reino da Grécia

sob ministério de Ioannis Metaxas de 1936 a 1941.

A cadela do fascismo está sempre no cio.

"

Bertolt Brecht

Debate

Esquerda ou direita

Estado Francês

(governo de Vichy)

 sob presidência de Philippe Pétain de 1940 a 1944.

Nos últimos anos, a discussão sobre em qual caixa ideológica colocamos o fascismo - direita ou esquerda - vem crescendo no Brasil. Até mesmo o presidente Jair Bolsonaro arriscou um palpite neste debate ao afirmar que o nazismo era de direita. Mas e aí, para qual lado devemos olhar se quisermos ver o fascismo? Vamos entender cada ponto de vista!

 

Aqueles que se dizem de direita - entenda-se os simpatizantes do liberalismo econômico, do conservadorismo, do anarcocapitalismo etc - alegam que o próprio nome do partido de Hitler deixa isso claro:  Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. Além disso, lembram que Mussolini foi militante do Partido Socialista Italiano e editor do jornal marxista Avanti!. No entanto, os argumentos não param por aí! No  campo teórico, algumas figuras defendem que o fascismo teria influência da obra do marxista francês Georges Sorel, como o caso do jornalista português, José Rodrigues dos Santos, que gerou polêmica em seu país ao fazer tal afirmação anos atrás.

 

A tese defende que os fascistas mantiveram-se fiéis ao marxismo ao entenderem que o capitalismo era uma espécie de “mal necessário” até que se alcançasse a sociedade perfeita. Em outros pontos, os fascistas se desviaram. Nas palavras de José Rodrigues dos Santos, esse desvio ocorreu “aproximaram-se do revisionismo bolchevista quando abraçaram a ideia soreliana da violência provocada por uma vanguarda e afastaram-se do marxismo e do bolchevismo quando aderiram à ideia baueriana de que o sentimento de nação era para o proletariado mais galvanizador do que o sentimento de classe.” Esta postura se deu pelos fascistas entenderem que a lógica da luta de classes não ser conveniente na Itália, já que toda a nação era proletária. Por isso, a luta não devia ser entre classes de um mesmo país, mas as nações proletárias deviam lutar contra as nações burguesas.

 

Ludwig von Mises, importante pensador liberal, também defenderá essa ideia em seu ensaio “Planned Chaos”. Ele afirma que o mito de que o nazismo era capitalista nasce do fato de que o regime  alemão "mantinha, ao menos aparentemente, a propriedade privada dos meios de produção e permitia, ao menos nominalmente, o empreendedorismo e as transações de mercado".

 

Já aqueles que se descreve como de esquerda - socialista, comunista, social-democrata etc -, costumam alegar que o fascismo não é uma doutrina, mas sim um comportamento político que pode ser adotado tanto por ideologias pertencentes ao espectro da esquerda quanto da direita. Mas, quando o assunto é nazismo alemão e fascismo italiano, o discurso é enfático e logo colocam a pecha no outro lado. Para isso, lembram que ambos os regimes eram anticomunistas. Segundo a professora Denise Rollemberg, “ o fascismo e o nazismo promoveram revoluções de direita no contexto do entre-guerras. Ambos levaram à guerra mundial que destruiu física e moralmente a Europa, mudando o rumo da história do continente e do mundo”.

 

As possíveis semelhanças entre socialismo e fascismo colocadas na conta de uma característica em comum, o estatismo. Ou seja, o fato de em ambos haver a presença de um Estado grande e com vasto poder.

 

Algumas instituições e personalidades como o Museu do Holocausto em Jerusalém e o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witsche, afirmam o direitismo do nazifascismo.

 

Em meio às dúvidas geradas pelo debate entre direitistas e esquerdistas uma coisa é certa: ninguém quer Hitler, Mussolini e companhia em seu time!

República Eslovaca

 

 sob presidência de Jozef Tiso de 1939 a 1945.

pingos nos is

Quem é fascista?

Estado Independente da Croácia

 

sob reinado de Tomislav II de 1941 a 1943 e com Ante Pavelić como primeiro ministro de 1941 a 1943, e Nikola Mandić de 1943 a 1945.

Reino da Hungria

sob regência de Miklós Horthy de 1941 a 1944.

Quantas vezes você já ouviu alguém ser chamado de fascista? Talvez, até mesmo você já tenha estado em uma discussão em que o termo foi usado. Se por acaso foi  você quem utilizou o termo para chamar alguém, cuidado! Ofender alguém com o termo fascista pode configurar crime contra a honra. Um exemplo foi a condenação da revista Carta Capital a pagar R$15 mil para o jornalista Paulo Eduardo Martins.

 

O motivo de o uso da palavra para ofender alguém ser considerado crime contra a honra não é tão difícil assim de entender, basta olhar o sessão número a número acima! Em termos legais, os crimes contra a honra estão tipificados nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal e são classificados como injúria, calúnia e difamação, podendo levar à prisão. Mas, isso não impede de que existam de fato pessoas e até políticos que se identifiquem com as ideias fascistas. No entanto, não basta uma fala ou uma ação para que alguém leve um pacote ideológico inteiro.

 

Para que alguém seja de fato um fascista será preciso a aceitação de alguns pontos próprios desta ideologia. Ou seja, é preciso que o perfil do indivíduo seja condizente com um checklist de convicções. Será que você se enquadra neste rótulo? Para isso elaboramos um pequeno teste para tirar qualquer dúvida existencial.

Argentina

 

sob as presidências de Pedro Pablo Ramírez de 1943 a 1944, de Edelmiro Julián Farrell de 1944 a 1946 e de Juan Domingo Perón de 1946 a 1955 e de 1973 a 1974.